Conexão em sala de aula

Nós, professores, sempre buscamos maneiras de melhorar nossas aulas. Procuramos exemplos, práticas para o dia a dia, jogos, kits experimentais e outras ferramentas metodológicas que auxiliem o aprendizado dos alunos. No post de hoje, vamos trazer uma maneira que podemos melhorar nossas aulas sem entrar necessariamente no quesito de conteúdo.

Se pararmos para pensar, não são todas as atividades e obrigações que temos prazer em cumprir, mas ficamos mais abertos a aprender coisas novas quando estamos com pessoas que gostamos. Nós sabemos que não são todos os conteúdos que são atraentes para nossos alunos o tempo todo, mas quando criamos conexão com as crianças, a aceitação dos alunos e atenção para ouvir as suas propostas muda completamente. E simples como em um passe de mágica, os alunos ficam mais abertos para querer aprender o que professor quer ensinar.  

Você professor, consegue se lembrar do seu período na escola/faculdade enquanto aluno? Se lembra dos seus professores preferidos durante essa época? O que eles tinham de especial? Esses professores favoritos estavam relacionados apenas a suas disciplinas favoritas ou tinha algum que você se sentia mais próximo e desenvolveu um carinho especial?

É natural que criemos laços com alguns alunos por proximidade ou afinidade, ainda mais por eles passarem cerca de ¼ do dia deles na escola e nesse período, nós professores somos modelos e exemplos para essas crianças/adolescentes e a maneira como nos comportamos em aula vai fazer parte da formação deles como seres humanos.

2296c391542f948025262ee4641ad6b6

E como criamos essa conexão? O que podemos fazer para aumentar nossa proximidade dos alunos sem deixar o nosso profissionalismo de lado? Vou te dar algumas dicas.

Observe

Nossos alunos são muito observadores e quanto mais tempo você passa com eles, mais os conhece e eles à você. Conseguem identificar seu humor, vontade e até disposição de acordo com o seu tom de voz, feição facial e postura corporal. Nosso corpo, fala e com pessoas que conhecemos nem precisamos ser especialistas para perceber alguns desses sinais. Tenho certeza que você consegue notar isso nos seus alunos, quando estão felizes, tristes, desanimados… sem nem falar nada.

a

Conheça o Universo deles

Passamos a maior parte do nosso dia na(s) escola(s) que trabalhamos e para as crianças isso não é diferente, eles também passam uma grande parte do dia deles na escola e essa convivência vai durar pelo menos um ano, te garanto que vale a pena conhecer quem são essas pessoas que você quer ensinar.

Quem são, quais são as atividades que fazem e gostam e assim por diante. Alguns alunos gostam de se expor e compartilhar mais que outros, notar isso também é uma forma de conhecê-los, saber se você vai tentar criar esses lados durante a aula ou em momentos fora da sala de aula. Pode parecer informações bobas, mas o empenho para realizar uma avaliação de matemática aumentou muito quando fiz um exercício sobre o show da Ariana Grande e o lançamento de um novo jogo do Xbox.

estudante

Como você quer que eles se interessem pelo que te move quando você não se interessa pelo que os move?

Compartilhe um pouco do seu Universo

Não precisa falar muito sobre sua vida pessoal, mas você pode mostrar para eles coisas que te tocam, por exemplo, contar quais seus filmes e livros favoritos, músicas ou histórias de vivências da escola. Saber sobre a sua vida, mesmo que seja muito pouco faz com que os alunos se sintam importantes, como se você só compartilhasse coisas com quem você realmente gosta.

Se envolva

Independente da idade, nossos alunos são seres humanos e estão inseridos na sociedade e nós como professores temos responsabilidade para auxiliarmos nesse convívio, formação e desenvolvimento. E nós, como seres humanos também, sabemos que nem sempre as relações sociais são simples, então fique ciente que conflitos acontecerão o tempo todo, seja dentro da sala de aula com um colega ou algum problema externo que vai surgir na escola por ser um ambiente diferente e seguro. Uma vez que as conexões estão sendo criadas ou já existem, é muito provável você também seja uma pessoa segura para que eles desabafem ou procurem para ajudar resolver essas situações, o que fazer? Se envolva, pratique a escuta passiva, converse, dê a eles ferramentas que os ajude a resolver essa situação. Nem sempre é fácil, mas tenha certeza que todos saem ganhando.

20121105181705

Quer saber o que os professores da Yadaa acham sobre esse assunto?
Escute o novo episódio do YadaaCast!

Anchor.fm ; SpotifyRadioPublic ;

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s